Segurança em museus

A segurança em museus trata-se da contração de uma equipe especializada em vigilância e monitoramento, certo? Não somente!

Pense bem, você já deve ter se perguntado: ‘por que utilizar uma fita vermelha que impede a aproximação do visitante na obra de arte?’, ‘qual o motivo de não poder tirar foto das pinturas em óleo?’, ‘por que tem placas indicando a saída da exposição?’,‘por que algumas áreas internas do museu não podem ser visitadas?’, ‘qual o motivo de fazer a entrada do museu ser de costas para a rua de tráfego intenso?’, ‘por que não posso ver a higienização do acervo?’ ou ainda pode ter se questionado sobre a disposição dos espaços no museu; como por exemplo ‘por que a exposição de objetos leves fica no 3º andar do museu?’.

A resposta para essas questões é apenas uma. Segurança do acervo e dos usuários!

É pensando na segurança em museus que analisamos, questionamos e refletimos sobre os espaços do museu e as possibilidades de problemas, tragédias e acidentes que podem acontecer no espaço.

Por pensar na saúde e segurança dos usuários do museu que criamos regulamentações e procedimentos de atuação no museu; como é o caso da utilização de EPI (Equipamento de Proteção Individual) nos procedimentos que objetivam o contato da pessoa com o acervo.

Um projeto de segurança no museu leva em consideração todas as intempéries e imprevistos passiveis de realização.

É nesse projeto que desenhamos as rotas de fuga, prevenimos o acontecimento de imprevistos e desenvolvemos gatilhos de salvaguarda do acervo e dos usuários do museu!

Dessa maneira, segurança em museus está muito além de instalar câmeras e colocar vigilantes. Está voltada também em garantir o bem-estar, a saúde e a segurança de sua equipe técnica e de seus usuários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *